Pataki de Eshu y Olodumare

Eshu e Olodumare: conheça o pataki onde Eshu salvou o deus supremo Olodumare. 

Posted by

Olodumare, o deus supremo de todos os iorubás e crentes de Santeria, viveu em total harmonia com todos os seres humanos, e do conforto de seu palácio ele atendeu aos pedidos de homens e mulheres.

Além das divindades que vieram a sua presença exigindo justiça, apesar de seus muitos anos, Olodumare ainda estava cumprindo suas obrigações.

Regra de Osha O que é isso?
Eshu e Olodumare

Sua experiência foi incrível e foi acumulada na resolução de conflitos, o que lhe permitiu tomar decisões com incrível agilidade em qualquer situação.

Ele foi capaz até de ocupar sua mente com muitos problemas ao mesmo tempo, uma característica que deixou muitos de seus filhos invejosos.

Era a esperança de muitos deles de ocupar seu lugar e, por sua vez, de tirar os méritos que foram alcançados por seu pai por muitos, muitos anos.

A seguir explicamos um pataki iorubá de Eshu e Olodumare, onde explicaremos como Eshu salvou o deus supremo da ganância de todos os seus filhos.

Patakí Yoruba da época em que os filhos de Olodumare quiseram tomar seu lugar.

Procurando uma maneira de tomar o lugar de seu pai e tudo o que ele conseguiu, apressaram-se a encontrar uma maneira de consegui-lo.

Depois de pensar um pouco, eles perceberam que os ratos seriam a chave para a destruição de Olodumare.

Pois se ele tivesse medo, fugiria imediatamente ou, na melhor das hipóteses, poderia perder sua vida de um ataque cardíaco.

Depois de terminar todos os detalhes de um plano tão maléfico, os orishas apareceram com jaulas cheias de ratos e começaram a se espalhar por toda a coisa onde Olodumare estaria.

Em seguida, eles procederam à convocação de Olodumare com a desculpa de tratar de um assunto da maior importância, que não poderia ser negligenciado.

Na chegada de seu pai, todos os Orishas começaram a soltar todos os ratos de suas gaiolas.

Somente Eshu protegeu seu pai da maldade e da ganância de seus filhos.

Eshu observou tudo o que estava acontecendo com seu pai Olodumare naquele momento, e temeu por sua vida.

Por isso, ela se lançou sobre ele a fim de acalmar seu medo, expressando-lhe que nenhum rato poderia prejudicá-lo a qualquer momento.

Eleggua começou a perseguir os ratos e um a um os comeu com uma fome feroz, e foi assim que ele deixou a casa livre dessas pragas.

E foi assim que juntos, Eshu e Olodumare foram capazes de superar o mal, Olodumare muito perturbado transformou todo esse pânico em raiva e exigiu saber quem foi o responsável por um evento tão hediondo.

Desta forma, ele tirou cada um de seus filhos do esconderijo onde estavam escondidos, e a cada um deles aplicou uma punição severa que correspondia ao grau de seus atos.

Olodumare e Eshu conseguiram vencer o mal com a ajuda da Eleggua.

Olodumare mandou buscar o orisha Eleggua, e quando ele estava em sua presença perguntou-lhe o que queria como recompensa por sua bravura.

Eleggua respondeu: “Não preciso de nenhuma recompensa por minha bravura, pois salvar a vida de meu pai é mais do que suficiente”.

Olodumare ouviu com total atenção as palavras de seu filho, e por isso agradeceu-lhe.

Por outro lado, Eshu disse que desejava ter livre arbítrio sobre todas as suas ações, sem limites ou restrições a seus desejos; um pedido que foi concedido sem nenhum problema.

Vale mencionar que Olodumare é a dívida suprema do panteão iorubá, o que significa que ele é único e insubstituível.

Isto significa que nenhum outro Orisha poderia tomar seu cargo, ou mesmo pensar que ele poderia atuar em sua posição sem que o resultado fosse o caos completo.

O que você achou desta história sobre Eshu e Olodumare? Mais a coragem de Eleggua para comer todos os ratos para salvar a vida de seu pai.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.